Em 2019, o Nubank obteve um enorme crescimento de sua clientela e receitas. Ao mesmo tempo, o prejuízo triplicou e atingiu R$ 312,7 milhões.

Principais resultados do Nubank em 2019:

O número de clientes passou de 6 milhões, em dezembro de 2018, para 19,7 milhões em dezembro do ano passado.

As receitas de intermediação financeira cresceram de R$ 173,8 milhões (2018) para R$ 568,1 milhões. Já as despesas com intermediação financeira foram de R$ 584,2 milhões (2018) para R$ 878,2 milhões.

O prejuízo contábil líquido aumentou de R$ 100,3 milhões (2018) para R$ 312,7 milhões.

Gratuidade de alguns produtos e serviços e crescimento acelerado, com enormes custos para aquisição de novos clientes, são características do modelo de negócio dos “neo banks”.

O aumento de 330% no número de clientes, em um ano, não deixa dúvida quanto ao potencial de crescimento do Nubank.

Mas até quando esse crescimento será acompanhado de um incremento proporcional dos prejuízos?

E até quando os investidores estarão dispostos a aceitá-los?

Fonte: https://glo.bo/385rbAH

#Nubank

#bancos #concorrência #SFN

#tecnologia #inovação

#Cosinergia

1 comentário

  1. Silmar Pereira Rodrigues em 27 de fevereiro de 2020 às 19:27

    O futuro parece depender da resposta aa seguinte questão? O que tem pesado mais na arregimentarão de clientes: gratuidade em serviços ofertados ou maior eficiência desses serviços? Se pesar mais a gratuidade, o modelo de negócio pode estar em risco, pois os resultados contábeis até aqui observados não são sustentáveis. Caso o maior atrativo seja a eficiência dos serviços ofertados, haveria espaço para rever a estratégia de não cobrar por serviços. Mas em que tempo? Até quando os investidores estariam dispostos a esperar por resultados contábeis positivos? Quem viver verá.

Deixar uma resposta Cancelar resposta