Nos últimos 18 meses tive a oportunidade de atuar como docente em seis MBA voltados para o cooperativismo financeiro em diversos estados. A convivência em sala de aula com cerca de 250 executivos e dirigentes do Sicoob, Cresol, Sicredi e Unicred possibilitou uma intensa e produtiva troca. Compartilhei conhecimentos e aprendi muito com estes profissionais.

Como funciona o mercado de concorrência perfeita?

Qual é a oferta, qual a demanda, como é a regulação em diferentes mercados (saúde, habitação, educação, drogas)?

E no mercado de crédito? Assimetria de informações, seleção adversa, risco moral, racionamento de crédito: o que isto tudo tem a ver com o cotidiano de uma cooperativa?

Funding, custo de oportunidade, spreads, risco, custos de transação, taxas de juros: quanto custo o crédito para o agente financeiro? E para o cliente/cooperado?

Cooperativa de crédito é diferente de banco?

No que ela é (tem de ser) diferente, no que ela é (deve ser) igual ao banco?

E os princípios cooperativos: discurso ideológico?

7. Princípio: custos que não compensam?

Geração de valor compartilhado: essência do cooperativismo desde sempre?

Novas tecnologias, inovação e disrupção: este é o futuro?

Futuro do cooperativismo e a cooperativa do futuro: o cooperativismo tem futuro?

O futuro é tech? Não, o futuro é people!

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/compartilhando-conhecimentos-e-aprendendo-com-do-dos-santos/

Deixe um Comentário