O futuro não é tech, o futuro é people. 

Nossa época é caracterizada pela velocidade estonteante do desenvolvimento tecnológico e o incessante crescimento de sua influência em todos os aspectos da vida vida em sociedade. Algorítimos e IA vão se tornando onipresente em nosso dia-a-dia.

 
Qual o papel reservado para os humanos no futuro?
 
Este debate é ainda mais necessário em tempos de transformações rápidas e profundas, proporcionadas e induzidas pela revolução tecnológica, da  chamada industria 4.0.
 
Para além da mitificação e do deslumbramento de muitos com as novas tecnologias, as pessoas é que fazem a diferença.

Identidade e pertencimento farão, cada vez mais, a diferença em um mercado financeiro comoditizado e com custos marginais decrescentes.

Quando tudo for igual, ser diferente fará a diferença.

4 comentários

  1. Marcos Diaz em 7 de janeiro de 2019 às 11:23

    Parabens meu caro Carlos Alberto. Assino embaixo. Abraços.

    • Carlos Alberto dos Santos em 8 de janeiro de 2019 às 10:20

      Grande abraço!

  2. ELI MORENO em 7 de janeiro de 2019 às 20:29

    Excelente. Eu compartilho com a ideia de que enquanto muitos correm para serem iguais em tecnologia, do mega-data, há aqueles que sempre acreditaram que são as pessoas que fazem a diferença. Até por que a tecnologia não tem nunca terá vontade própria. Parabéns, Dr. Carlos.

  3. Carlos Alberto dos Santos em 8 de janeiro de 2019 às 10:20

    Obrigado Eli pelo seu comentário. Abraço!

Deixe um Comentário