“O jogo é bruto”

Novas tecnologias de comunicação e informação permitem aos bancos digitais superar uma das principais barreiras de entrada no mercado financeiro – a necessidade de uma ampla rede física de atendimento. Aos conhecidos Nubank, Inter, Agibank, Neon, Original e Next se juntarão outros, inclusive estrangeiros.

O modelo de negócios, ágil e agressivo, facilita-lhes ampliar a clientela ao atrair jovens e parte dos já atendidos pela banca tradicional. Veja aqui um comparativo dos principais bancos digitais em operação no Brasil.

Bancos digitais

A consolidação e crescimento dos bancos digitais dependerão, entretanto, das estratégias e reações dos concorrentes. Onde o oceano azul não passa de miragem, marketing provocativo não basta.

A disputa se dá nos fundamentos. Modelo de negócio contra modelo de negócio. E cada um usando de suas armas mais poderosas.

Um exemplo?

A chamada “guerra das maquininhas”.

Ou alguém imaginou que os grandes bancos não iriam reagir ao vertiginoso crescimento da PagSeguro e Stone, embriões de futuros (e grandes) bancos digitais?

Como já foi dito por quem entende do negócio: “O jogo é bruto”

2 comentários

  1. RICARDO CAMPOI em 29 de abril de 2019 às 19:24

    Só para os fortes!!!

    • Jesus Fernandes Leao em 30 de abril de 2019 às 07:16

      O jogo de conquista aplicado pela concorrência é deveras bruto, mas a manutenção passa por um processo polido e simples sem o qual o jogo pode vir á a se perder num tempo tão rápido que talvez só seja percebido tarde demais. Ao final só ganha quem estiver atento às conquistas.

Deixe um Comentário